Agronegócio brasileiro tem novo líder
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Agronegócio brasileiro tem novo líder

Dener Giovanini

17 Junho 2013 | 17h26

Soja lidera agronegócio no Brasil

A soja lidera as exportações do agronegócio brasileiro, com faturamento de US$ 13,13 bilhões no acumulado de janeiro a maio deste ano. O destaque foi à exportação da soja em grão, cujo embarque cresceu 5,8% e atingiu 19,602 milhões de toneladas. Já o óleo de soja, teve queda expressiva, de 47,1%. De acordo com a Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, com base em dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), as carnes ocuparam a segunda posição no ranking de exportações do agronegócio.

Colheita de soja, uma das principais economias do país. Foto: Roosewelt Pinheiro/Abr

 

FONEC debate a luta dos indígenas

O Fórum Nacional de Educação do Campo – FONEC se reuniu nos dias 13 e 14 de junho, em Brasília, para manifestar solidariedade às lutas indígenas que acontecem em todo o país. Com o objetivo de resistir à concentração de terras, à destruição do meio ambiente, à violência e morte no campo. Os participantes do fórum afirmaram o compromisso de apoiar a luta dos povos indígenas, além dos movimentos sociais, pela vida e pela terra como direito sagrado e universal de todos os seres humanos.

Justiça Federal x movimento agrário de São Félix do Xingu (PA)    

Entidades do Pará, entre elas a Comissão Pastoral da Terra, alertam para risco de violência em despejo de 412 famílias do Projeto de Assentamento São Francisco. As famílias estão em assentamento de terras indígenas e em fazenda desapropriada, por ser recurso do tráfico de drogas. O despejo está marcado para acontecer dia 25 de junho deste ano. As famílias decidiram que não irão sair do Assentamento, para elas seria como perder tudo o que já construíram, desde 1993, quando tomaram posse do local.

Ministério do Meio Ambiente celebra Dia Mundial de Combate à Desertificação

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) comemorou hoje, 17 de junho, o Dia Mundial de Combate à Desertificação, com um evento para debater políticas de combate ao problema, além dos efeitos da seca e a convivência com a semiaridez. Com o tema Convivência com a Semiaridez: Seca e Água. A abertura do evento contou com o lançamento do livro: Apoio a Iniciativas Locais de Combate à Desertificação, pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (Iica). Além de debates, houve exposição de fotos, produtos artesanais e alimentos, produzidos em locais de semiaridez.

Lençóis Maranhenses têm 5,5 mil moradores, apesar de lei ambiental não permitir

Comunidades tradicionais que vivem basicamente da agricultura e da pecuária somam 5,5 mil de pessoas, no território do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (PNLM). Apesar da lei ambiental não permitir a permanência de moradores nesse tipo de unidade de conservação, a população está há mais de 200 anos no local. O governo ainda não iniciou o processo de desocupação do território desde que a unidade foi criada em 1981. A comunidade ocupa mais de 155 mil hectares, numa distância de quase mil quilômetros da capital do Maranhão, São Luís.