Para nutricionista, mudança no cardápio do McDonald´s não é eficaz

Estadão

29 Julho 2011 | 15h03

cheese600.jpg

 

Menos sódio, mais frutas. Menos fritura, mais salada. No dia 1º de outubro, entra em vigor o novo cardápio do McDonald´s no Brasil. A pedido do blog, as mudanças — que incluem novos produtos e a redução de açúcar, sódio e calorias das opções atuais — foram avaliadas pelo especialista Daniel Bandoni, professor adjunto do curso de Nutrição da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A principal mudança se deu no McLanche Feliz, concebido para crianças a partir de 6 anos de idade, no qual foi incluída uma porção de frutas frescas da estação. Houve também uma redução de 10% do sódio em diferentes ingredientes. E, a partir de outubro, todas as combinações do kit infantil terão um teto de 600 calorias, com a redução do tamanho da porção de batatas fritas.

As mudanças no cardápio da rede de lanchonetes também atingem o público adulto. Além da redução do sal em pães, queijos e condimentos, entre outros, também será diminuída (em quase 40%) a adição de açúcar nas bebidas à base de frutas, com um limite de 5 g por cada 100 ml.

A salada de acompanhamento das McOfertas vai dobrar de tamanho, com uma maior variedade de folhas, além de cenoura ralada e tomate. Sem o molho, serão apenas 10 calorias.

De acordo com a Arcos Dourados, empresa que representa a marca McDonald´s na América Latina, as mudanças são fruto de dois anos de pesquisas, com o apoio de fornecedores, para que em 2011 houvesse testes com consumidores. Nessas degustações, as mudanças teriam sido aprovadas pelo público. Por ora, não haverá mudança nos preços nem na oferta de brindes.

Mas o professor Bandoni, da Unifesp, vê problemas na associação de brinquedos à alimentação. “Isso é uma prática abusiva para conquistar crianças”, diz. Ele argumenta ainda que não é bem divulgada a possibilidade de se comprar o brinquedo sem o lanche, assim como a opção por substituir as batatas fritas por salada nas McOfertas.

Bandoni afirma ainda que, mesmo com a redução de sódio e açúcar nos alimentos, sua presença continua sendo alta e que, portanto, esses alimentos devem ser evitados. Atualmente, ele afirma, o Big Mac e a batata média somam 50% do máximo de sódio que um adulto deve ingerir por dia. “Essas medidas são muito iniciais e pouco eficazes”, afirma.

“Além disso, os lanches têm uma alta densidade energética (calorias por grama de alimento)”, prossegue. Isto é, em pouco volume de alimento, há muitas calorias. Com isso, as pessoas acabam comendo demais, muito rapidamente.

As críticas ao cardápio da rede de lanchonetes se acentuaram em 2004, com o lançamento do documentário Super Size Me, do cineasta americano Morgan Spurlock. No filme, ele passa um mês comendo apenas no McDonald´s. Ao fim da experiência, Spurlock havia engordado 11 quilos e estava com problemas hepáticos.

Mas o Mcdonalds nega que as alterações feitas nos últimos anos tenham relação com a polêmica. “As inovações são parte de um projeto contínuo de aprimoramento do cardápio da rede e respondem a uma demanda do público”, afirma Flavia Vigio, vice-presidente da Arcos Dourados.

De fato, a salada de copo foi incluída no cardápio antes do documentário, em 1998, mas, de 2004 para cá, vários ajustes foram feitos. Em 2005, a rede passou a vender maçãs e iogurte com cereais. No ano seguinte, entraram  cenouras de aperitivo e água de coco. Em 2007, foram incluídos o sanduíche de peru e os smothies de frutas, além de haver uma redução da gordura trans no cardápio.