Só 2% dos celulares são reciclados no Brasil. Veja como reciclar

Rodrigo Martins

09 Julho 2008 | 15h37

Ainda sobre o tema lixo tecnológico: apenas 2% dos brasileiros destinam seus celulares usados para a reciclagem, embora 74% acreditem que essa é uma atitude correta para o meio ambiente. O número é baixo mas está em sintonia com a média mundial: apenas 3% dos celulares vendidos voltam à linha de produção.

Os números fazem parte de um levantamento realizado pela fabricante de aparelhos Nokia, em que foram consultadas 6,5 mil pessoas em 13 países, com o objetivo de traçar estratégias para incentivar o recolhimento dos celulares e baterias que não são mais usados.

Boa parte dos entrevistados (44%) deixa os aparelhos guardados em casa, na gaveta. No Brasil, esse número cai para 32%, enquanto 29% dos consumidores dão o celular para outra pessoa e 10% jogam o aparelho antigo no lixo comum – contra 4% da média mundial.

Cerca de 80% dos componentes de um celular – plástico, circuitos eletrônicos e metais – podem ser reciclados e voltar à indústria. Os visores, por exemplo, podem ser reaproveitados pelos fabricantes de brinquedos, para fazer joguinhos eletrônicos. E as baterias mais antigas, fabricadas antes de 2000, possuem metais pesados, como níquel e cádmio, em sua composição. Se jogadas no lixo comum, essas substâncias podem contaminar o solo e a água.

Postos de coleta
Antecipando uma possível obrigatoriedade no futuro, algumas empresas já estão recolhendo celulares usados e baterias. As lojas e redes de assistência técnica das operadoras Vivo e Claro já dispõem de urnas específicas para isso, e também as redes autorizadas da Motorola e Nokia. Esta criou link em seu site que explica onde o consumidor pode localizar o ponto de coleta mais próximo de sua casa. A Motorola também possui o serviço.