5 principais fatores não relacionados à alimentação que comprometem a qualidade de vida

5 principais fatores não relacionados à alimentação que comprometem a qualidade de vida

Alessandra Luglio

26 Fevereiro 2018 | 16h02

Sem dúvidas a alimentação desempenha papel fundamental na saúde e qualidade de vida, porém, de nada adianta ter uma alimentação saudável e negligenciar outros importantes pontos do nosso dia a dia, conforme podemos ver abaixo:

1- Privação de sono

Dormir é fundamental para nossa saúde e pelo menos 1/3 da população terá algum problema relacionado ao sono ao longo da vida. Baixa qualidade de sono está relacionada ao aumento da fome, obesidade, resistência insulínica, diabetes, depressão, hipertensão, fatiga, doenças cardiovasculares e queda no sistema imunológico.

2- Sedentarismo

Esse é um ponto óbvio e que estamos todos cansados de saber, mas mesmo assim muitos não conseguem encaixar exercícios em suas rotinas. Os benefícios dos exercícios estão relacionados à praticamente todos os campos da saúde, sejam eles físicos ou psíquicos. Seja trocar o elevador pela escada, o carro pela bicicleta, descer em um ponto de ônibus mais longe de casa ou passear mais vezes com o cachorro, o importante é alcançar entre 75 e 150 minutos semanais de exercício, entre moderado e forte.

 3- Vivemos em um mundo de crescente isolamento e solidão, aparentemente desprovido de comunidades significativas

Esse é um ponto muito difícil de resolver, já que é produto da estrutura da nossa sociedade atual. Vivemos na era das redes sociais, onde, muitas vezes, nosso contato com o próximo se dá apenas de forma virtual. As Blue Zones, áreas do mundo onde há uma alta taxa de pessoas que chegam aos 100 anos, tem em comum, entre outros pontos, a convivência social em comunidade como um importante fator.  Pertencer ativamente à uma certa comunidade ou grupo nutri não apenas conexões sociais, mas também bem-estar espiritual, representa estar conectado com algo maior do que si próprio. Encontre o que te proporciona felicidade e paz…é uma religião? Um hobby? Voluntariado? Um esporte em grupo?

4- Conexão com a natureza

Nós não estamos mais conectados com a natureza! Existe uma enorme gama de evidência dos benefícios de estar ao ar livre, da exposição (com cautela) ao sol. A exposição solar, de forma moderada e não para se queimar, é responsável pela produção de vitamina D e está relacionada à menores taxas de alguns tipos de câncer, morte prematura, doenças autoimunes e depressão.

Os raios ultra-violetas são capazes de aumentar reações químicas no organismo que proporcionam a sensação de bem-estar. Estar ao ar livre também pode ser um gatilho para se exercitar ou se engajar em atividades em grupos, facilitando assim os outros pontos que discutimos acima! Procure tomar entre 10 e 15 minutos diários de sol, entre as 10h e 15h, sem proteção solar… mas não se queime! Se for permanecer mais tempo do que isso, então aplique proteção após esse período.

5- Estamos viciados

Seja em álcool, tabaco, drogas…muitas pessoas levam uma alimentação saudável, mas não conseguem se livrar de outros vícios, que acabam comprometendo os benefícios desse tipo de alimentação. É importante assumir o problema, tomar consciência disso e procurar ajuda.

Uma boa notícia é que está tudo interligado! Ao começar a praticar cada um dos pontos citados acima, os outros vão ficando mais fáceis. E ao sentir os benefícios dessas ações, muda uma chave na nossa cabeça que nos faz questionar os velhos hábitos.

 

Texto baseado na seguinte matéria:

http://nutritionstudies.org/top-5-non-food-lifestyle-factors-destroy-quality-life/